Aril deixa de reciclar vidro, sucata, madeira e isopor

A Central de Triagem de Materiais Recicláveis da Associação de Reabilitação Infantil de Limeira (Aril) não vai mais reciclar vidro, sucata (ferro velho), madeira e isopor. Uma série de fatores levaram a diretoria da entidade à tomar esta decisão há cerca de um mês. Os locais que mantinham tambores de reciclagem já foram comunicados.

De acordo com a assistente administrativa do setor de reciclagem, Marici Tochini, um dos principais motivos é em relação à dificuldade de manuseio dos materiais. O vidro, por exemplo, exige além de cuidados especiais para evitar acidentes, coleta, separação de cor, preparação do produto para encaminhar ao destino final, entre outros. “Trata-se de um processo muito complicado, que não compensava, inclusive, financeiramente”.

Uma outra agravante envolvendo o vidro, de acordo com o administrador da Aril, Adalberto Gaib, é que muitas pessoas deixavam cacos em frente da entidade, que fica ao lado do Zoológico. Segundo ele, o risco de uma criança se cortar na porta de entrada era muito grande. “Aos fins de semana o problema era ainda pior porque havia acúmulo de vidro aqui e os cacos se espalhavam pela calçada”.

O vidro também é um material muito pesado. Cada tambor cheio pesa em torno de 200 quilos. Além de tudo, Marici apontou o risco que os funcionários corriam ao manusear os vidros. A Aril vendia o vidro reciclado para uma empresa de Porto Ferreira.

Gaib também relatou que os motivos para o cancelamento da reciclagem da sucata, madeira e isopor são ainda piores. “Não tem empresa que receba estes materiais, exceto a sucata, que é um material mais direcionado nos estabelecimentos de ferro velho”. Segundo ele, o isopor e a madeira tomavam muito espaço do depósito, embora sejam produtos que podem ser reciclados e não devem ser misturados ao lixo doméstico.

A proposta da Aril é se especializar em determinados materiais recicláveis como o papel, papelão, plástico e alumínio. O vidro, a sucata, o isopor e a madeira continuarão sendo recebidos pela Cooperele, por exemplo, que é uma cooperativa que envolve pessoas de baixa renda. “Se cada depósito de reciclagem se especializar em determinados materiais, o volume será maior e o retorno também”, explicou o administrador.

Contudo, tanto a assistente administrativa da Central de Triagem de Materiais Recicláveis da Aril quanto o administrador da entidade, pedem que a população não deixe de reciclar o lixo doméstico, até mesmo o vidro, sucata, madeira e isopor. Informações sobre formas de coleta destes materiais podem ser adquiridas na Cooperele pelo telefone 8134-6586. Já o papel, papelão, plástico e alumínio continuarão sendo recebidos na Central de Reciclagem da Aril, situada à Rua Vitorino Arigoni, 230, Jardim Santa Bárbara, próximo à concessionária da Fiat da Avenida Campinas. Mais informações pelo telefone 3451-2152.

O administrador da Aril pediu ainda que as pessoas não deixem mais vidros em frente da entidade para evitar qualquer acidente com as crianças.


Fonte:  Gazeta de Limeira - SP